História dos sapatos femininos no século XX

Publicidade:

Os sapatos femininos sofreram diversas transformações ao longo de sua história. Sabe-se que o hábito de usar sapatos de saltos altos, por exemplo, remetem a um passado bem longínquo. Eles estiveram sempre ligados à nobreza, sendo símbolo de realeza, de grau social, além de sempre terem feito parte de grandes eventos e processos históricos.História-Sapatos Pode-se ainda afirmar que foi durante o século XX que os sapatos femininos passaram pela sua maior transformação. Até meados do século XIX, não havia uma específica fábrica de sapatos. Em geral, eles eram produzidos por artesãos que trabalhavam em suas próprias casas. A arte de confeccionar sapatos de maneira mais profissional teve início em meados do século XIX, quando os primeiros nomes ligados à moda deram o pontapé inicial ao que seria o processo de manufatura de sapatos e série.

E foram alguns países na Europa, que participaram desse processo, em especial a França. A indústria calçadista parisiense foi fundada pelo inglês Charles Worth, em 1858. Worth foi o mais destacado estilista do mundo da moda na época, a ponto de ter sido ele o responsável por vestir toda a realeza da Europa.Sandalia-Histórica A partir de Worth, surgiram ainda outros estilistas os quais fizeram grandes carreiras, além de história. Um deles foi Pietro Yanturni que se autodenominava “o mais caro estilista de calçados do mundo”, com uma clientela exclusiva de apenas 20 clientes e cujos sapatos de saltos altos se encontram, atualmente, expostos no Metropolitan Museum of Art de Nova York. André Perugia seguiu os passos de outro estilista muito importante: Yanturni, cujos sapatos estão no Musee de La Chaussure, em Romans, na França.

►►►  Saias midi para deixar você linda e poderosa

Já nos anos iniciais de 1900, ainda havia muito preconceito quanto ao uso de certos modelos de sapatos femininos, especialmente, os modelos de salto alto. Muitos consideravam que as mulheres que usavam os sapatos de saltos altos fossem de menos valia moral, já que deixavam suas “partes” desnudas. Leia-se “partes” como sendo os tornozelos.  Prevaleceu à época, os modelos de saltos mais baixos, ou sem saltos, que eram mais de uso doméstico. Em público, o  ideal é que as mulheres usassem botinhas de amarrar e que tivessem o cano um pouco mais alto, para que nada de suas pernas ficassem à mostra.Sapato-HistóricoEste cenário somente se modifica, quando termina a Primeira Guerra Mundial, uma vez que o processo de desenvolvimento econômico acontece, a indústria de calçados passa a ser melhor aceita e mais desenvolvida. É então que os sapatos de saltos altos também se popularizam, sendo deixado de lado o preconceito que os acercou por tanto tempo. Uma profusão de cores, estilos e saltos para a ser visto nos pés das mulheres a partir de então.

Publicidade:

►►►  Dicas de sapatos para cada evento

 

Você também vai gostar desses...